quinta-feira, 10 de setembro de 2015

''Crônica: A sua maneira''




  Sim, ela dormiu no calor dos meu braços, mas eu tinha certeza que isso já não era um sonho, até porque sentir aquele perfume todos os dias da mulher que mais amo, era algo inexplicável, algo que eu nunca enjoaria de sentir, e aqueles olhos escuros me fitando como sempre, era algo inconfundível, que só ela sabe fazer.
  Claro que ela tem seus jeitos, seus defeitos, seus encantos e desencantos, que pra mim, são sempre na medida certa. Acordar e já sentir o cheiro do café que ela tem orgulho de ter feito sozinha, é um de seus encantos que eu a admiro dos pés a cabeça, e como a admiro...Acordar sabendo que de prontidão ela já estará ali para me receber com o maior e mais caloroso bom dia do mundo, me faz pensar, como eu tenho sorte de ter encontrado a mulher da minha vida, como tenho sorte de tê-la na mais simplicidade e sutileza que uma mulher pode ser.
  Deus me livre de um relacionamento moderno em que as coisas acontecem instantaneamente e sem amor, porque com ela, cada passo, cada beijo, é no nosso tempo, no nosso momento, sem devaneios, preconceitos e pressionamentos, só nós. Nada como um amor simples, como o que ela tem a oferecer, um amor calmo, tranquilo, sereno, que traz paz até pros mal amados.
  Ah, essa sua maneira de implicar com meus pés sujos no colchão, ou ficar brava quando deixo o cabelo desarrumado quando vamos visitar seus pais, se você soubesse como as acho tão desnecessárias, pararia de deixar seus fios de cabelo pelo chão depois do banho, até porque quando te olho só com meu moletom e com os cabelos molhados, meu Deus, isso recompensa qualquer discussão ou teimosia.
  Realmente, você tem suas manias, mas com certeza eu seria um homem pela metade se não houvesse você pra me mostrar o lado bom e simples da vida, esse lado que de certa maneira me completa, ahh, se você soubesse que essa sua maneira faz com que eu te admire cada vez mais, afinal, é desse seu jeitinho simples, que me fez gostar de você, um brinde á nossa maneira de amar, afinal, eu já cai em suas armadilhas de amor...

Postar um comentário